quinta-feira, 23 de junho de 2011

Diamante de Sangue

Diamante de sangue é o nome de um dos filmes visualizados nas aulas de História pelos alunos das turmas A e C do 9.º Ano. Apesar de muito próxima, a trágica realidade retratada passa despercebida no dia-a-dia de quem está longe. A guerra civil, as crianças-soldado, o tráfico ilegal de diamantes com fins militares, a destruição de famílias, o estupro de civis inocentes.... foram apenas alguns dos problemas retratados, debatidos e sentidos nas nossas aulas. Não há palavras suficientemente fortes para descrever o infortúnio de milhares de pessoas para quem os Direitos Humanos estão longe de ser uma realidade.... Mas também não as há para transmitir a maturidade e a sensibilidade demonstradas pelos alunos.
Diamante de sangue foi um filme vivido pelos nossos alunos.
Queremos partilhar a nossa experiência com a comunidade escolar. Assim, deixamos registados alguns testemunhos e um pequeno video final!
Maria Elvira Teixeira

Faziam uma lavagem ao cérebro das crianças para depois não reconhecerem os seus familiares. Quando já não reconhecessem os seus pais eram obrigados a matar tudo e toda a gente.
Marta

Fiquei chocado quando o filho apontou a arma ao pai e ele começou a falar das coisas de que ele mais gostava de fazer. É uma parte muito chocante até que o filho desperta e começam a cair-lhe lágrimas.
Hélder

Toda a família foi separada quando devia estar junta.
Pedro Jorge

A cena que mais me impressionou foi quando o Solomon Vandy chegou ao campo de refugiados e descobriu que o filho tinha sido levado pela Ruf para combater. Ele agarra-se com toda a sua força à rede e começa a gritar com toda a força pelo filho.

André Veloso

Para mim, a parte mais impressionante do filme foi quando Archer deu o diamante a Salomon para que fosse mais fácil ele recuperar a sua família, de quem havia sido separado.
Susana

O que mais me chocou neste filme é ver como os chefes apontam as armas às pessoas que estão à procura dos diamantes. Se eles encontrarem algum e tentam escondê-lo são mortos. Isso é crueldade.
Cláudia

Neste filme, para mim, houve dois momentos marcantes. Um deles foi quando o filho não reconheceu o próprio pai, apontando-lhe uma arma. Aí, o pai recorda-o da sua infância antes de ser uma das tantas crianças-soldado. O outro momento é quando Danny diz a Solomon que o seu filho está morto e este responde que não, que está vivo e que ele era um menino muito aplicado na escola e que, um dia, ainda iria ser um grande médico. A determinação de Danny, a esperança de Solomon e ainda a intensa perturbação mental em que o menino ficou depois de ter sido uma criança-soldado, marcaram-me verdadeiramente neste filme.
Sara Gonçalves

Na minha opinião, o filme retrata muito bem o desrespeito pelos direitos humanos.
Paulo

É um filme que aborda os problemas que estão a ocorrer neste momento e os valores da vida!
Julien

O filme relata vários problemas, como por exemplo, as crianças soldados, o tráfico de diamantes e os massacres. Mas apesar de abrir os nossos olhos, estes problemas continuam a existir e vai ser muito difícil acabar com eles.
Tiago Diegues

É importante tentar fazer o mundo acordar para os conflitos étnicos, sociais e humanos.
Filipa

Se ninguém quiser saber, as pessoas que lá andam a trabalhar vão continuar a sofrer. Tiago Manuel

Pessoas como nós vêm os seus direitos a serem violados, a toda a hora. Tiago Torres

A família é insubstituível. Todos somos iguais e todos temos o mesmo direito à vida. Não temos que sacrificar os outros para nosso benefício. A raça, cor de pele, ou deficiências não nos diferenciam uns dos outros.
Amílcar

Agora sim, até já!



http://www.youtube.com/watch?v=J8hTFrZx__k
video

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Direitos Humanos

Direitos Humanos foi um tema muito abordado nas aulas de História desde o início do ano lectivo. É uma temática controversa que está, inevitavelmente, associada aos diferentes conteúdos daquela disciplina em qualquer nível de escolaridade. No entanto, é no 9.º Ano que o debate assume maior pertinência. Talvez devido à maior proximidade dos assuntos estudados em relação aos nossos dias; talvez devido à maior maturidade dos alunos para se envolverem e debaterem o tema; talvez devido à gravidade dos problemas abordados que suscita uma maior sensibilidade; talvez...!
O repto foi lançado: transpor o tema para lá do espaço e do tempo de debate da sala de aula e ser criativo. Os alunos das turmas A e C do 9.º Ano mostraram-se à altura do desafio (outra coisa não seria de esperar) e realizaram trabalhos sobre diferentes vertentes do polémico tema.
Quisemos partilhar parte das vivências que marcaram as nossas últimas semanas de aulas. Por isso, deixamos aqui alguns dos trabalhos realizados que constituem um testemunho do interesse, do empenho e, sobretudo, da sensibilidade demonstrados.
Da minha parte, acredito sinceramente que o tema não se esgotou no debate e nos projectos!
"Ser Homem é ser responsável. É sentir que colabora na construção do mundo". (Antoine Saint-Exupéry)
Os nossos alunos demonstraram um grande sentido de Humanidade e de Responsabilidade! Estou certa que colaborarão na construção do mundo!
Parabéns a todos!

Até já!
Maria Elvira Teixeira












Festa Final do Ano Lectivo 2010/2011

FESTA DE FINAL DE ANO LECTIVO 2010/2011 Escola de Navarra

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Baile de Finalistas

Realizou-se, no dia 17 de Julho, o Baile de Finalistas do Agrupamento de Palmeira. Aqui ficam algumas fotografias do evento.





Para ver mais fotografias, clique aqui!!
Para ver mais fotografias, clique aqui!!
Para ver mais fotografias, clique aqui!!

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Dia Mundial da Criança














Neste dia especial as crianças da EB1 de Crespos, numa atitude artística e criativa, deram vida às paredes da nossa escola.

Escola - um desafio

"O que eu ouço, esqueço. O que eu vejo, lembro. O que eu faço, aprendo." (Provérbio chinês)

Aconteceu em jeito de desafio… ou talvez não!

Os 27 alunos da turma C, do 8.º Ano, transformaram-se em pequenos empresários nas aulas de Educação Tecnológica. Aceitaram o repto do Professor José Carlos Mota e, de uma forma entusiasta, começaram a criar as suas próprias empresas. Primeiro a ideia, depois o projecto que, aos poucos, ganhou forma.

Os nossos “empresários” interiorizaram o novo estatuto que lhes foi proposto e assumiram uma atitude condicente com o mesmo. Com um elevado nível de empreendedorismo, dinamismo, sacrifício e vontade de vencer, materializaram uma ideia e assim vimos nascer uma série de empreendimentos ligados ao mundo da moda, do jornalismo, da produção de eventos, entre outros ramos empresariais.

Um mundo de faz de conta? Não, um mundo real adaptado ao universo estudantil e juvenil que hoje atinge o seu auge com a divulgação dos trabalhos à comunidade escolar.

Parabéns aos jovens empresários de sucesso que se empenharam nesta iniciativa totalmente inovadora que ficará gravada nas suas memórias. Estou certa que esta experiência constituirá uma aprendizagem realmente significativa no percurso dos nossos alunos.

Parabéns ao professor José Carlos que, de uma forma não menos dedicada, conseguiu envolver e entusiasmar os alunos neste projecto para além do espaço e do tempo de sala de aula.

A directora de turma

Maria Elvira Teixeira


Um dia no Parque Radical de Adaúfe

Link




O grupo de EMRC organizou para os alunos do 7.º e 8.º anos um dia diferente no Parque Radical de Adaúfe.

Mais fotos

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Jogos Matemáticos







Vencedores 2.º Ciclo:

Semáforo
1.º David Silva 6.º F n.º11
2.º Alexandre Costa 5.º G n.º 1
3.º Luís Monteiro 6.º A n.º 16

Hex
1.º Gonçalo 6.º C n.º10
1.º Eduardo 6.º B n.º 10
2.º Gonçalo 5.º F n.º 10

Ouri
1.º Andreia Lima 6.º F n.º 7
2.º Afonso Costeira 5.º E n.º 1
3.º Ana Alexandra Duarte 6.º F n.º1

Vencedores 3.º Ciclo:

Rastros
1.º Tiago Diegues 9.º A n.º26
2.º Luís Pereira 7.º C n.º 15
3.º André Vidrago 8.º D n.º 3

Hex
1.ºHelder Ferreira 9.º A n.º9
2.º Raphael Oliveira 8.º C n.º 22
3.º Leonardo Teixeira 8.º E

Ouri
1.º Bernardo Silva 8.º A n.º 8
2.º Pedro Ribeiro 9.º A n.º 20
3.º Tiago Branco 7.º F n.º26

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Visita a Braga Barroca

Nós, alunos da turma C, do 8.º Ano, fomos hoje visitar alguns monumentos de estilo barroco da cidade de Braga. A Igreja dos Congregados, o Palácio do Raio, a Câmara Municipal de Braga e a Igreja de S. Vicente foram alguns dos edifícios visitados. Divididos em grupos, fomos nós os guias da visita, tendo cada grupo feito uma descrição do monumento, recordando o tema que já tínhamos estudado nas aulas de História - o estilo barroco.
Foi grande a animação com que saímos da escola e que não faltou durante todo o percurso. Após um breve almoço no centro da cidade, partimos à exploração do património cultural de Braga com entusiasmo, interesse e muita diversão. Fomos acompanhados pela nossa professora (e d.t.) Maria Elvira Teixeira.
Queremos partilhar a nossa experiência com a comunidade escolar, por isso deixamos aqui este pequeno apontamento e algumas imagens que ficaram registadas para mais tarde recordar.